Aspiração

A minha literatura não atrai multidão. Poucos a compreendem. Poucos valorizam a poesia. Estou há 2 semanas sem conseguir vender o e-book Solstício ao Luar. À parte isso, o contato visceral com a literatura tem me proporcionado conhecer pessoas interessantes. Minha intenção com o poema nunca foi para me enriquecer financeiramente e nem de tornar as minhas obras comerciais, com isso a minha maior satisfação e creio que também seja para diversos outros poetas é verificação que a sua estética está causando sensações nas pessoas.

Por causa do meu Recanto das Letras, já interagi com inúmeros poetas de diferentes regiões brasileiras, alguns fazem a gentileza de ajudar a divulgar o meu e-book. O Solstício ao Luar, juntamente com o blog, me ofereceu a interação com a poetisa de Lisboa, Margarida Cimbolini, com o apreciador da escola byroniana e poeta Paulo Mielmiczuk, com o pintor vanguardista e companheiro de surrealismo Ricardo Figueiredo, com o artista do Chile, Mauricio Díaz que carinhosamente me presentou com um poema.

Tudo isso me deixa muito feliz. É uma honra conhecer pessoas encantadoras.

A minha tristeza, é que o Clube de Autores não me informa o nome das pessoas que compraram o e-book. Tenho muita curiosidade em saber quem foram essas pessoas gentis.

Logo abaixo mais pinturas do Mauricio Díaz:

Receber esse poema na caixa de entrada do meu e-mail me deixou muito feliz. Muitos dizem apreciar a poesia, mas na verdade pouquíssimos realmente valorizam e os que valorizam, fazem isso com intensidade! Um grande abraço ao Mauricio Díaz, quem sabe um dia teremos a oportunidade de apresentar nossos trabalhos de vanguarda em alguma exposição ou sarau surrealista.

“ATRAVÉS do universo
Eu posso viajar sem limites
meus pensamentos voam através de um túnel com um relógio imaginário atemporal
no tempo imaginário
Eu tenho um amigo poeta
que imagina e voa pelo cosmo
e nós
direito no ponto
onde convergem a imaginação e arte
a vida e a morte
e tanto
existe.”

(Mauricio Díaz)

Um abraço também para a Charlize Bordô que publicou o meu poema Âmago Sinfônico no blog dela, o Galho Poético!

http://galhopoetico.blogspot.com.br/

 

Solstício ao Luar <—- Clique aqui para ver/comprar o meu e-book.

Anúncios

Anotações

Solstício ao Luar

http://mielmiczuk.blogspot.com.br/  <— Poesias de Paulo Mielmiczuk! É muito bom, vale a pena conhecer suas obras.

Negar a tradição é a melhor forma de enriquecer a tradição! Grande Nicolas Behr, ainda vou pra Braxília para tomarmos café.

http://www.cartacapital.com.br/cultura/sobrou-para-o-churrasqueiro/

Ahh… A minha adorável Estação Persistente no jornal Zero Hora (crédito ao Bruno Ribeiro pela foto)

Estação Persistente

Estação Persistente

Poemas      Solstício ao Luar      Biografia

Pintura de Mauricio Díaz

Pintura de Mauricio Díaz

Mauricio Díaz, residente em Chile, pinta há 35 anos e sempre busca novas formas de expressão em sua arte. Já realizou duas exposições e possui um carinho especial pela Exposição em Valparaiso (Chile). É também um admirador de Surrealismo e Salvador Dalí.

Paranóia

Ah, que dia cansativo na monotonia vibrante de todos os sabores das frutas baseadas no néctar obsceno que apresenta o ato fúnebre aos anseios vagos de uma glande cantora do antigo império de pimentas sobre o rio alcoólico que não deixa… Não deixa! Não há mensagens sanguinolentas para petrificar o absinto psicodélico nas asas alquimistas contra os calores prosaicos no corsário libidinoso…  E ausente! FIM

Dalí

Crâne atmosphérique sodomisant un piano – Dalí

O post Delírio fez o blog decolar! Voou pelo fantástico, ao maravilhoso, ao sublime, ao grotesco, ao ausente, ao descaso, ao intenso, ao surrealismo, ao realismo mágico, ao pitoresco, ao pictórico, ao nada, ao indelével!

 O post Delírio bateu recorde de acessos!!! Tive a visite de várias mentes brilhantes de vários países. Tive mais de 70 visitas de amigos de diferentes estados brasileiros. Tive 20 acessos por pessoas dos Estados Unidos, Mais de 10 visitas por pessoas de Portugal, 3 acessos por pessoas da Argentina, França, Alemanha e Venezuela. E apenas 1 acesso do Chile e do Peru. Um abraço a todos que acessaram e acessam com muito carinho este blog surreal.

e é isso aí, o blog vai decolar rumo aos mais longínquas galáxias.

Dalí

Le grand masturbateur – Dalí

Solstício ao Luar <—- Clique aqui para ver/comprar o meu e-book.

Delírio

Em diversos posts eu disse quem são os artistas que me influenciaram, mas em nenhum eu expliquei como eles me influenciaram. Penso que já está no momento de eu explanar brevemente o que o Ciro Pessoa, Andre Breton e Salvador Dalí me ofereceram.

O álbum Em dia com a Rebeldia de Ciro Pessoa me provocou sensações que nem mesmo eu sei explicar. O resultado dessa sensação foi o meu encontro com o Surrealismo e talvez, a minha principal influência.

Andre Breton!!! A incrível escrita automática

Salvador Dalí!! O ilustre Dalí! Quem ler Solstício ao Luar achando que encontrará imagens que façam referências aos seus quadros, está equivocado. O Dalí foi o responsável por me oferecer explorar o método paranóico-crítico. Em meus poemas eu criei diversas imagens amontoadas para o leitor viajar de forma onírica e encontrar as suas explosões inconscientes.

Nos vídeos da estréia do meu e-book, eu disse que eu ofereço a destruição do universo. A destruição do universo foi sem dúvida a minha inspiração, mas não sei se conquistei isso devido ao fato que os meus poemas são muito espontâneos através do automatismo psíquico.
Já disse uma vez, quem me lê bebe um coquetel de revoltas em Plutão.

Site para comprar o E-book Solstício ao Luar

Galatea de las esferas, 1952 - Dalí

Galatea de las esferas, 1952 – Dalí

Ecos

Meus poemas no Recanto das Letras

No livro digital Solstício ao Luar, há 66 poemas, sendo 11 inéditas. Minhas principais influências na recriação de um universo foram as poéticas de Ciro Pessoa, André Breton e Salvador Dalí. É difícil encontrar no Brasil, artistas ou poetas que exploram o Surrealismo. Me considero um privilegiado pelo meu intenso contato com essa vanguarda. É um prazer saber que para algumas pessoas, os meus poemas foram o primeiro contato com o Surrealismo.

Sinopse do e-book:

Obra de estréia do jovem poeta Rodrigo Fernandes Ferreira Brito. Solstício ao Luar é um mergulho na desconstrução da racionalidade e a reinvenção das imagens através da elevação do indecifrável e do inexprimível. Sobre a influência da estética surrealista de Ciro Pessoa, André Breton e Salvador Dali, o fazer poético encontra na sinestesia, fórmulas de transfigurar a realidade para a profundeza metafísica dos sonhos.

Para comprar o e-book é necessário se cadastrar no Clube de Autores e logo após acessar o link: Solstício ao Luar

Magritte

La trahison des images

Solstício ao Luar

Os vídeos acima foram gravadas no lançamento do meu primeiro e-book, o Solstício ao Luar. Sou poeta, não sou ator, então essa foi a melhor forma que encontrei para declamar os poemas. Aliás, poemas recitadas de forma teatral não há nada de belo. 

E…

Finalmente o Solstício ao Luar já está à venda. São no total 66 poemas surrealistas de explosões interplanetárias. Para comprar o e-book é necessário se cadastrar no site Clube de Autores e logo em seguida acessar a página do livro e clicar em “Comprar”

Site para comprar o E-book Solstício ao Luar

Capa de Solstício ao Luar

Capa de Solstício ao Luar

No meu mural do Facebook, fiz o seguinte comentário sobre o lançamento:

“Me sinto estranho e não é por causa do álcool. Inúmeras explosões de Quasares em meu interior. Ontem lancei o meu primeiro e-book de poemas em uma noite incomum no cenário rondonopolitano. Pena que foi incomum apenas para um pequeno grupo financeiro. Agradeço intensamente a todos que me apoiaram e apreciaram a minha poética. Muito obrigado especial para a minha namorada encantadora Vanusa, aos Velhos Jovens que me ofereceram essa oportunidade, aos meus irmãos, aos meus amigos, professores e aos desconhecidos que vieram falar comigo pq gostaram do poema. Tudo muito inusitado, até fui convidado para participar de uma reportagem na Tv Rondon, hahaha… Agora com o e-book lançado, a autonomia e a estética prevalecem. Além de Surrealismo, sou adepto da literatura da década de 70. A arte não deve ser escravizada por restaurantes, bares, selos, festas. A arte deve ser acessível a todos, sem segregar grupos ou classes. A poesia deve prevalecer na rua. Um poeta deve interagir com as pessoas e descobrir as almas encantadoras da rua. É isso aí, meu próximo projeto será um Manifesto atualizado do Surrealismo e em 2016 vou publicar o meu segundo livro. Abraços a todos.”