Lugar nenhum

Em Rondonópolis, eu não me sinto mato-grossense e em Cuiabá, eu me sinto exilado. Sou um sujeito sem território e de lugar nenhum.

porta

.

Anúncios

Um pensamento sobre “Lugar nenhum

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s