“Alegrai-vos no Senhor”: a igreja contra o bem-estar social

Recentemente, ocorreu o evento “7º Alegrai-vos no Senhor” – evento evangelístico organizado pela Igreja Assembleia de Deus de Rondonópolis –, em duas etapas, sendo a segunda etapa do evento realizada entre os dias 14 e 17 de fevereiro na Avenida Amazonas.

Segundo os noticiários, o “Alegrai-vos” é uma opção para as pessoas que não querem participar do Carnaval. Para isso acontecer, a igreja fecha a Avenida Amazonas, prejudicando os moradores daquela região e as pessoas que precisam circular naquela área da cidade.

Tudo indica que o “Alegrai-vos” está acima de nossa Constituição e a Prefeitura e a Secretaria de Trânsito fecham os olhos para esse tipo de excesso. Com isso, torna-se necessário lembrar os realizadores do evento e o poder público de que Rondonópolis é um município também regido pela Constituição, o que faz nossa cidade estar inserida no Estado laico.

Fechar a rua para um evento religioso fere os direitos dos cidadãos ao impossibilitá-los de ir e vir em sua rua e de estarem na tranquilidade de seus lares sem as pregações de uma religião da qual não fazem parte, o que configura a festa em um evento opressor.

Não se deve argumentar que tal evento serve para contribuir com a palavra e o nome de Deus, uma vez que o bem-estar social é quando há respeito pelas diferentes crenças (em nosso município, há representantes de diversas outras religiões, bem como há pessoas que não pertencem a nenhuma). Onde está o direito do cidadão, quando um evento reprime a população, jogando “goela abaixo” o fechamento de uma rua?

Então, o desrespeito que a igreja comete em relação aos princípios básicos da democracia, por conta da realização daquele evento, não pode ser ignorado e nem justificado de maneira covarde, alegando-se que é em nome de Deus. Tenho certeza de que este texto será um pequeno passo para que, nos próximos anos, os nossos “representantes” não fechem os olhos diante dessa ação, e para que o povo não se silencie com essa atitude da igreja Assembleia de Deus.